A gestão eficiente é um dos principais fatores do sucesso de uma empresa, especialmente na área da construção civil. Entre suas atividades está o cuidado com a negligência profissional no canteiro de obras, prática que pode resultar em diversos problemas para o projeto, bem como para a imagem do negócio no mercado.

A negligência acontece de diferentes formas dentro de um canteiro de obras. Os problemas gerados podem ser desde pequenos atrasos no cronograma, por falta de equipamentos, até ações judiciais e grandes prejuízos financeiros gerados por acidentes com maquinário ou colaboradores. Independentemente do acontecimento, ela compromete a lucratividade do negócio e, principalmente, coloca em risco a vida dos profissionais.

Neste artigo, apresentamos as principais informações sobre a negligência profissional no canteiro de obras, mostrando as implicações, os custos que essa prática gera para o negócio e como evitá-la. Acompanhe!

O que configura a negligência profissional no canteiro de obras?

A negligência profissional no canteiro de obras é entendida como atos e práticas de descuido, desatenção ou omissão em relação às boas práticas, normas e regras de segurança estabelecidas no planejamento do projeto, bem como pelos órgãos que regulamentam o setor de construção civil.

Nesse sentido, ela aumenta as chances de que aconteçam acidentes no ambiente de obra. A seguir, conheça algumas práticas que se enquadram na prática.

Desorganização

Manter equipamentos fora do ambiente adequado pode causar acidentes.

Desatenção

Brincadeiras e distrações tiram a atenção das atividades da obra, aumentando a possibilidade de acidentes.

Queda de materiais

A falta de instrução para o manuseio de ferramentas e circulação em áreas de cargas suspensas pode resultar em incidentes.

Dermatoses

Problemas de alergia gerados pelo manuseio de produtos químicos sem o uso de equipamentos de proteção.

Quedas de nível dos profissionais

Acontecem quando sistemas de ancoragem fixos e cintos de segurança modelo paraquedista não são utilizados em trabalhos realizados acima de 2 m de altura.

Choques elétricos

Ocorrem pela falta de uso de equipamentos apropriados ou de conhecimento para realizar atividades que envolvem energia elétrica.

Falhas de sinalização

Aumentam as chances de que ocorram acidentes pela falta de indicações do risco de cada ambiente da obra.

Ferramentas

A falta de treinamentos e de conhecimento sobre o manuseio de ferramentas e equipamentos gera riscos para a qualidade da obra, bem como para a incidência de acidentes.

Quais as consequências dessas práticas?

Engenheiros e técnicos responsáveis pelo projeto de construção que não tomam as precauções necessárias para evitar acidentes no canteiro de obra, seguindo as regras e normas do mercado e do projeto, podem ser responsabilizados por negligência profissional.

Deixar de seguir as normas de segurança aumenta as chances de que aconteçam acidentes de trabalho na obra — como quedas de ferramentas, danificação de equipamentos e soterramentos, por exemplo. Além disso, ignorar ações de prevenção de riscos resulta em mais chances de problemas na estrutura, como defeitos e erros de construção.

Quando esses problemas acontecem, as consequências são diversas. Entre elas, a geração de atrasos, a perda de produtividade, o aumento dos gastos da obra e até mesmo a possibilidade de a construtora ser alvo de ações judiciais, o que impacta nos custos do projeto, bem como na imagem da organização no mercado.

Como diminuir ou evitar negligências?

Existem algumas práticas que podem ser adotadas para minimizar a negligência profissional no canteiro de obras. Falamos com mais detalhe sobre oito delas a seguir!

1. Planejamento eficiente

O primeiro passo para garantir uma obra sem problemas de negligência é realizar um planejamento eficiente. Isso envolve atividades como:

  • contratação de um time experiente e responsável;

  • definição de boas práticas e regras seguindo os padrões do mercado;

  • uso de equipamentos de segurança;

  • contratação de equipamentos e ferramentas de qualidade;

  • implementação de treinamentos de segurança;

  • monitoramento da obra.

Uma obra eficiente deve adotar medidas que garantam segurança e qualidade em todo o desenvolvimento do projeto, minimizando problemas e aumentando o retorno sobre o investimento do cliente.

2. Organização do canteiro de obras

O canteiro de obras deve ser organizado para funcionar de forma sistemática, como uma linha de produção, para evitar possíveis problemas e acidentes. Para isso, o leiaute do ambiente deve conter sinalizações e áreas específicas para diferentes funções de atividades — armazenamento de materiais, maquinário, vestiário etc.

3. Treinamento de profissionais

Conforme indicado anteriormente, realizar treinamentos entre os profissionais diminuir as chances de que ocorram acidentes. O ideal é que o time tenha o conhecimento necessário para cumprir com suas obrigações, entretanto é importante apresentar regras, boas práticas, processos e formas de manusear os equipamentos usados no canteiro.

5. Uso de EPIs e EPCs

Adotar equipamentos de proteção individual (EPIs) e coletiva (EPCs) é outra prática que garante a segurança dos profissionais no ambiente de trabalho das obras, evitando que, mesmo em situações de risco, como trabalho em elevações, eles deixem de estar protegidos.

6. Elaboração do diário de obras

diário de obras é considerado a memória física de qualquer projeto de construção, uma vez que relata o dia a dia do que é feito no canteiro. Nesse sentido, suas informações podem ajudar a minimizar negligências, identificando pontos de alerta, como falta de equipamentos de segurança ou práticas fora das normas.

7. Adoção de tecnologias de gestão

Investir em tecnologias voltadas para o setor de construção civil permite que as atividades de gestão, como monitoramento, elaboração e preenchimento do diário de obras, controle de materiais e produtividade, possam ser realizadas de forma digital, eliminando erros digitais e reduzindo o tempo gasto em cada uma delas.

Essa prática aumenta a segurança das informações e permite que os gestores tenham acesso a mais dados sobre o desenvolvimento da obra, identificando com mais facilidade os pontos de negligência.

Qual a relação entre negligência e segurança do trabalho?

Conforme explicado, a negligência profissional no canteiro de obras reduz a segurança dos colaboradores, aumentando as chances de que eles sofram acidentes. Nesse sentido, é importante que ela seja minimizada para que a vida dos profissionais não seja posta em risco.

Entre as normas do mercado que visam minimizar esse problema está o Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho da Indústria da Construção (PCMAT), um conjunto de medidas que asseguram a segurança do ambiente de obra para os colaboradores, estabelecidas pela ABNT NR 18 — obrigatório para projetos com mais de 20 funcionários. Igualmente,a entrega da Anotação de Responsabilidade Técnica PCMAT (ART PCMAT), assinada por profissional associado ao sistema Confea/Crea.

Outras normas existentes são a elaboração da APR, presença do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (Sesmet) e da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), compostos por uma equipe de profissionais da área de saúde e segurança do trabalho, e um grupo de representantes dos colaboradores, respectivamente — ambos têm como objetivo garantir a segurança da equipe no ambiente de obra.

Fica evidente que a negligência é uma prática que prejudica os resultados de qualquer empresa e deve ser evitada. Para isso, é importante adotar medidas de segurança para os profissionais, bem como as regras e normas regulamentadoras da construção civil que fazem sentido para cada tipo de projeto.

Agora, que você sabe mais sobre a negligência profissional no canteiro de obras, siga as nossas redes sociais para receber mais conteúdos como este. Estamos no Facebook e LinkedIn!