O orçamento de obras é um serviço de engenharia elaborado com o objetivo de determinar todos os valores de custos de uma construção. Ele é apresentado como uma planilha e é essencial para o planejamento e controle das etapas de uma obra.

Esse tipo de ferramenta é um serviço multidisciplinar, ou seja, envolve vários profissionais de engenharia, todos focados em alinhar os itens para que o orçamento seja o mais fiel possível à realidade.

Neste artigo, você vai entender melhor os benefícios de ter um bom orçamento de obras e aprenderá como fazer um em 9 passos. Confira!

Quais as vantagens de fazer um orçamento de obras benfeito?

Elaborar um orçamento perfeito é essencial para qualquer profissional! O orçamento garante que a obra fique dentro dos custos previstos. Assim, fica mais fácil negociar prazos de pagamento como também descontos nos pagamentos à vista. Algumas vantagens:

  • serve para conhecer precisamente qual será o custo;
  • auxilia no planejamento dos gastos em cada fase da obra;
  • permite inclusão ou exclusão de materiais para que o custo da obra esteja dentro do orçamento;
  • facilita a busca de melhores descontos quando da compra de materiais e na contratação da mão de obra;
  • é parte da documentação para pleitear um aporte via financiamento bancário.

Como fazer um orçamento de obras?

De posse de todas as informações, é hora de iniciar os trabalhos de elaboração das planilhas. Listamos, a seguir, nove dicas de como fazer um orçamento de obras de maneira eficiente.

1. Tenha todos os projetos em mãos

Antes de iniciar, é necessário que algumas etapas sejam realizadas porque são seus dados que vão alimentar o orçamento:

  • projeto arquitetônico devidamente aprovado na prefeitura local;
  • projeto estrutural e de fundação;
  • projetos complementares: elétrico, hidrossanitário, de prevenção e combate a incêndio e pânico, de telecomunicações e outros.

2. Faça o levantamento do quantitativo de todos os projetos

Fazer o levantamento de quantitativos de todas as etapas a serem executadas e também dos materiais que serão empregados como:

  • canteiro de obras;
  • instalações provisórias de água e luz;
  • fundações e estruturas (pilares, vigas e lajes);
  • alvenaria, chapisco e reboco;
  • pisos, revestimentos e pinturas;
  • louças, metais, coberturas e forros;
  • instalações elétricas, hidrossanitários etc.

3. Prepare a composição de custos unitários de todos os insumos

Todo orçamento se baseia em composição de custos unitários, com a utilização de tabelas que detalham os diversos insumos utilizados na execução do serviço, seu índice de utilização e, para quantificação do serviço, o custo unitário de cada material.

A composição é de grande importância para o orçamentista e também para o administrador da obra, pois ele precisa analisá-la para saber qual insumo foi considerado e qual a produtividade adotada quando da formação do preço da obra.

No mercado existem várias tabelas que podem ser utilizadas, como também softwares, desde os mais simples aos mais complexos.

4. Calcule todos os custos indiretos

Custos indiretos são água, luz, transporte, telefone, mão de obra terceirizada, combustível, máquinas e equipamentos, aluguéis, alimentação etc. Frequentemente, esses custos são ignorados, em especialmente em reformas e construções menores.

5. Elabore uma estimativa de custos

Incluir os quantitativos de cada serviço nas composições de custos unitários, inserindo todos os custos indiretos. Em seguida, acrescentar os impostos que incidem sobre os serviços e os encargos sociais (sobre a mão de obra). Some todos os valores para ter o custo total da sua obra ou reforma.

Quando a contratação da mão de obra é por empreitada, não há incidência de encargos sociais. No entanto, deve-se redigir um contrato de prestação de serviços de empreitada, para evitar problemas futuros.

6. Calcule os benefícios e as despesas indiretas (BDI)

A precificação é uma tarefa complexa, que demanda atenção a detalhes que, muitas vezes, passam despercebidos. O transtorno é que, quando isso acontece, sua margem de lucro pode ser limitada, comprometendo até mesmo a continuidade da construção.

Além da margem de ganho, é preciso avaliar os custos diretos e indiretos, e a maneira eficiente é calcular o BDI.

O BDI pode ser de 10% até 100%, dependendo das especificidades da obra, do cliente e do mercado. Essa é a etapa final para a montagem do preço. 

7. Conheça a curva ABC

A curva ABC determina uma ordenação de materiais e permite ao gestor da obra controlar os insumos de forma mais eficiente. Suas principais vantagens são:

  • diferencia os insumos que são mais significativos economicamente;
  • facilita a distribuição mais eficaz das obrigações de controle;
  • aponta os insumos que precisam ser reduzidos;
  • evita o desperdício na construção.

Ela exibe 20% dos itens que retratam 80% do custo total da obra. Logo, esses itens devem ter mais atenção na contratação e na compra. Sempre consulte a curva ABC da sua obra e procure adquirir os insumos dentro do orçamento planejado.

8. Entenda como fazer a cotação de preços

Na elaboração do orçamento de uma obra, o orçamentista esbarra em grande quantidade de insumos e serviços que precisam ter seu preço cotado. Para isso, devem ser solicitadas cotações de preços no mercado. De nada adianta lançar na planilha um preço que, no momento da compra, o fornecedor não consegue manter.

Se for um valor menor, terá prejuízo. No caso de os preços serem majorados, há o risco de perder a concorrência e ficar fora do mercado. Portanto, não utilize tabelas prontas ou revistas, procure seu fornecedor de confiança ou faça contato com empresas que terceirizam esse serviço.

9. Use a tecnologia a seu favor

Elaborar orçamento de obras é muito estressante e demanda um tempo enorme, mesmo para quem está acostumado com as planilhas eletrônicas. No entanto, é necessário agilizar as atividades, potencializar o tempo e os recursos disponíveis, além de fazer uma gestão de obras mais eficiente.

A utilização de um software é o segredo para tornar o processo mais preciso e com menor ou quase nenhuma margem de erro.

No setor de orçamento, além de ser a porta de entrada para os negócios, seus serviços é que definirão os lucros e a permanência no mercado. Daí a necessidade de elaborar um orçamento de obras eficiente.

Lembre-se: nunca deixe de orçar uma obra, por menor que seja. Perder o controle dos gastos facilmente explode o orçamento planejado.

Gostou do conteúdo? Então, curta a nossa página no Facebook!