Em qualquer atividade a ser realizada, seja no ambiente empresarial, seja no industrial ou em canteiros de obras, é necessário ter segurança. Buscar formas mais resguardadas de trabalhar é uma tarefa obrigatória nas empresas — e um dos métodos dentro do escopo de segurança de trabalho é o conceito de APR de segurança.

Essa técnica consiste em estudar previamente as condições do local, da atividade e do colaborador e registrar esses dados em um relatório específico. O problema é que muitas empresas têm dificuldades em transmitir essas informações para o documento da APR de segurança, o que dificulta a realização de um plano de ações completo e efetivo.

Neste post, você vai entender o conceito de APR de segurança e quais são as principais informações que devem estar presentes nesse relatório. Acompanhe!

O que é APR de segurança?

A sigla APR significa “Análise Preliminar de Riscos”, que é um estudo precedente e detalhado das fases de um serviço que será realizado.

O principal objetivo desse documento é determinar quais são os possíveis problemas que poderão ser encontrados, analisando todos os perigos aos quais o colaborador ficará exposto ao exercer a atividade, e propor medidas para contornar essa situação.

Essa análise auxilia que todos os trabalhadores estejam cientes dos procedimentos normativos que terão de se submeter ao realizarem a tarefa designada. Esse documento é muito importante para as empresas, pois garante que o colaborador esteja de acordo com todos os possíveis riscos, além de ser uma garantia legal para a organização.

A atribuição desse conceito envolve saber que os riscos são inerentes à execução de certas atividades, mas podem ser atenuados por meio da aplicação dessa análise. O relatório da APR de segurança permite listar quais sãos as atribuições e as responsabilidades de cada membro da equipe, fazendo com que esse indivíduo constitua uma parte do todo, sem que ocorra imprevistos.

No entanto, talvez o ponto mais importante da APR de segurança seja a antecipação dos possíveis problemas futuros. Uma análise prévia bem executada é capaz de identificar os riscos que o trabalhador estará exposto, como lesões diretas, e também os danos aos equipamentos, perda de materiais, paralisações do sistema e condições climáticas que podem influenciar na ocorrência.

Como é feita a APR de segurança?

Uma análise preliminar de riscos começa com uma coleta de dados. Não existe uma metodologia obrigatória a ser seguida para realizar essa etapa, mas é necessário que o documento aborde, com detalhamento e precisão das informações, alguns assuntos fundamentais, como a listagem de riscos e possíveis perigos.

Essa coleta de dados é precedida da análise das possíveis causas dos riscos assinalados, identificando quais são os grupos de colaboradores e os bens materiais que estarão expostos a essas ameaças. É importante também estimar as possíveis consequências e os danos causados em situações como essa.

Por último, costuma-se descrever todos os pontos que foram observados, elaborando um conjunto de diretrizes que serão tomadas para lidar com todos os problemas descobertos.

Para facilitar a compreensão sobre o que representa uma APR de segurança, listamos alguns dos principais objetivos desse documento:

  • identificar detalhadamente os riscos no local de trabalho;

  • determinar diretrizes claras e objetivas para as equipes de colaboradores;

  • indicar metodologias que visem à segurança;

  • organizar as tarefas que serão realizadas no processo;

  • planejar cada etapa das atividades;

  • capacitar as equipes que estarão expostas aos riscos das atividades laborais;

  • prevenir acidentes ocasionados por falhas humanas ou mecânicas.

O que é necessário acrescentar no documento da APR de segurança?

O desenvolvimento e a implantação adequados da APR de segurança consistem na sua realização antes do início da atividade que será executada nessa nova tarefa. Ao implantar um novo setor, por exemplo, toda essa análise deve ser feita, além de também ser aplicada nos processos já existentes que ainda não apresentavam essa documentação.

Uma APR de segurança eficiente precisa constar todos os riscos presentes no ambiente de trabalho. Essa análise pode utilizar como base o programa de prevenção de riscos ambientais, checklists de controle ou outros formulários desenvolvidos para a coleta dos principais dados.

De maneira geral, os documentos precisam apresentar algumas informações, como:

  • responsáveis pela aplicação;

  • data da realização da APR;

  • nome da empresa;

  • atividade a ser executada;

  • riscos do trabalho, sendo que essas informações devem apresentar riqueza de detalhes, listando as ameaças e os processos de neutralização;

  • listagem dos EPI’s obrigatórios na execução das atividades;

  • listagem dos equipamentos que serão usados durante o trabalho, detalhando os riscos de cada maquinário;

  • normas de segurança que precisam ser observadas;

  • etapas de trabalho, listando os riscos em cada fase e as medidas preventivas que devem ser observadas;

  • número da revisão;

  • responsáveis pela elaboração, que normalmente são os integrantes do SESMT, mas toda a equipe de trabalho deve estar envolvida com a APR.

É importante mencionar que não existe apenas um método de análise preliminar de riscos, devendo cada caso ser estudado individualmente para adequar as atividades necessárias. No entanto, existem etapas principais que toda APR de segurança deve seguir, contando com a participação de todos os envolvidos, para que nenhum detalhe seja negligenciado no processo.

Para explicar melhor como essas informações são coletadas e de que maneira devem ser apresentadas no documento, listamos, a seguir, as principais etapas que a APR de segurança deve expor.

Descrever e caracterizar os riscos

Nessa etapa da elaboração do documento é que são caracterizadas as origens dos riscos e os seus consequentes efeitos, o que possibilita apresentar medidas preventivas que podem ser aplicadas imediatamente. Também são listados os riscos mais graves e os que apresentam menores potenciais, para apontar quais são os procedimentos mais urgentes.

A partir da APR de segurança é que são mitigados boa parte dos riscos. Geralmente essas ameaças são produzidas por condições impróprias no ambiente de trabalho ou ausência de equipamentos de proteção individual ou coletiva.

Determinar ações de controle e prevenção

Outra etapa fundamental na elaboração da APR é a determinação das ações de controle e prevenção. Todos esses dados devem ser apresentados no documento final da análise preventiva, pois assegura a preservação da saúde e da segurança no trabalho.

Além disso, é importante recorrer a históricos de sistemas de produção parecidos, pois essas informações podem ser significativas na identificação dos riscos na atividade analisada. Também é necessário dimensionar as condições reais de execução dos serviços, primando sempre pela segurança do colaborador.

É importante determinar os riscos pela ordem de gravidade, ou seja, elencar dos mais graves até os menos ofensivos, em relação à segurança das equipes de trabalho e de possíveis danos aos equipamentos ou materiais. Também é necessário identificar a origem das principais ameaças e quais são os perigos associados.

Por fim, devem-se determinar ferramentas e medidas para mitigar os danos em situações que o controle de riscos não funcione adequadamente, impedindo a ocorrência de sinistros generalizados. Delegar um profissional responsável pelas ações preventivas e corretivas é uma boa forma de tornar o setor responsável por ele mesmo.

Analisar falhas humanas

Apesar de a tecnologia e a mecanização ocuparem uma boa parte dos processos produtivos, é essencial focar na saúde e segurança do elemento humano no sistema: o colaborador. Grande parte dos acidentes ocorre devido a falhas humanas, mas outros elementos também contribuem para essa estatística.

Um desses fatores é o projeto de instalação e a organização dos processos, que muitas vezes são inadequados e negligenciados e podem oferecer riscos em plena realização das atividades. Por isso, é importante levar em consideração a natureza dos equipamentos e as variáveis do ambiente, listando os riscos e garantindo um dimensionamento adequado das instalações disponíveis.

Por último, é essencial propor atividades de qualificação e treinamento para os colaboradores. No documento da APR de segurança, é importante listar informações de capacitação e observância das normas e regulamentações vigentes, fazendo com que todos os profissionais envolvidos estejam cientes dessas determinações.

Sobretudo, a APR de segurança estuda preliminarmente as condições do ambiente envolvido com o serviço a ser realizado. Informações como nome da empresa, funcionários, descrição da atividade e EPI’s necessários são ideais na realização desse trabalho. Caracterizar adequadamente as ameaças é uma etapa fundamental para garantir um processo de produção com o mínimo de problemas.

Se este post foi útil para você, aproveite para assinar a nossa newsletter. Dessa forma, você terá todas a outros conteúdos diretamente na sua caixa de entrada!