O sucesso de qualquer projeto de construção civil depende, principalmente, de seu planejamento. É por meio dele que você consegue definir e otimizar o orçamento e atender as exigências do contrato, garantindo a satisfação do cliente e o retorno financeiro para a empresa. Para isso, é fundamental elaborar e implementar um cronograma de obra.

Esse documento é a materialização do planejamento, e é usado para garantir que ele seja executado de forma correta. Um bom cronograma de obra apresenta, em detalhes, as atividades que devem ser cumpridas em cada etapa do projeto, juntamente com seus responsáveis, formas de execução e prazos de entrega.

Por considerar todos os fatores que impactam no desenvolvimento do projeto, sua elaboração e implementação podem ser desafiadores. Neste post, listamos 8 dicas que vão ajudar você a criar e a colocar em prática um cronograma de obra efetivo. Continue a leitura e saiba como garantir os melhores resultados para seu projeto de construção.

1. Começar com um bom planejamento

Como explicamos no início do texto, a base do cronograma de obra é o planejamento do projeto. Sendo assim, é importante que essa etapa seja realizada de forma eficiente, garantindo que sua materialização represente os objetivos e exigências estabelecidas em contrato.

O ideal é que o planejamento seja feito com base no acordo estabelecido, atendendo a todos os requerimentos especificados pelo cliente, bem como as normas do setor. O plano deve apresentar prazos realistas e com margem para lidar com situações adversas  como atrasos causados por condições climáticas ou irregularidades não previstas.

Devem ser levantadas e organizadas as principais informações que permitem que os profissionais responsáveis pela execução do projeto o façam de forma otimizada. Entre elas, a lista de fornecedores e contratos estabelecidos, exigências e acordos do contrato, orçamento e mão de obra contratada.

2. Levantar as atividades a serem feitas

O profissional ou time responsável pela elaboração do cronograma de obra deve ter acesso ao planejamento. O ideal é usar essas informações como guia para executar suas funções, criando um plano realista e alcançável para a construção. 

Depois de entender o projeto, a primeira atividade para elaborar esse documento é fazer o levantamento de todas as atividades e tarefas necessárias para cumprir com cada etapa da obra. Elas devem ser avaliadas conforme suas especificidades para que sejam organizadas de forma cronológica e eficiente, formando um processo.

Os fatores que devem ser considerados são: tempo necessário para execução da atividade, tarefas que devem ser realizadas para permitir que outras sejam iniciadas, profissionais e equipamentos necessários para sua realização, bem como normas e exigências a serem seguidas.

3. Avaliar prazos de fornecedores e permissões

 A finalização das atividades depende da disponibilidade de materiais e equipamentos, bem como de permissões. Por esse motivo, antes de definir a ordem dos processos, é importante avaliar estes fatores, trabalhando para que atrasos não sejam gerados. 

Normalmente, cada fornecedor apresenta um prazo de entrega, que pode ser consultado no contrato. O ideal é ter um bom processo de previsão de consumo de materiais e equipamentos, dessa forma, os pedidos são feitos com antecedência e evitam a falta de itens para a execução do trabalho.

4. Conferir as condições estabelecidas em contrato

Conforme apresentado, é fundamental que o projeto siga as normas e exigências do cliente. Essa prática garante sua satisfação com a entrega, bem como evita possíveis reclamações e ações legais contra a empreiteira — ações que prejudicam sua imagem, bem como sua saúde financeira.

O profissional responsável deve avaliar o contrato e entender estas solicitações, garantindo que elas sejam estabelecidas nas orientações para a equipe de trabalho  desde que elas não interfiram no cumprimento das normas do setor.

5. Avaliar a mão de obra contratada

Outra atividade que deve ser feita antes de estabelecer o cronograma de obra para o projeto é uma avaliação completa da mão de obra disponível. Essa prática permite compreender quais são os profissionais que formam a equipe e como eles podem ser utilizados para realizar as atividades.

O uso coerente da mão de obra garante que nenhum profissional fique ocioso, gerando custos desnecessários para o projeto, bem como evita a falta de trabalhadores para o cumprimento das atividades.

Vale lembrar que a escala de trabalho deve considerar não apenas as atividades e etapas da obra, bem como as regras e normas de trabalho do mercado, evitando acidentes que colocam a segurança da equipe em risco e podem comprometer a entrega do projeto.

6. Estabelecer etapas, datas e calendário

Feita a análise de todas as informações do planejamento e compreensão dos fatores que impactam a execução das etapas do projeto, é possível organizar o cronograma detalhado da obra, determinando:

O documento deve ser bem estruturado e organizado, permitindo que os responsáveis por sua implementação e controle consigam ter uma visão completa de como os objetivos do projeto devem ser cumpridos.

7. Definir plano de monitoramento 

Para a boa implementação do cronograma, é importante que ele conte com um plano de monitoramento e supervisão de obra, ou seja, práticas que avaliam o progresso da execução e certificam-se que as atividades estão sendo realizadas conforme definido.

Nesse processo, é necessário incluir o levantamento de informações e documentação das etapas do projeto, por meio do preenchimento do Livro de Ordem  documento obrigatório para profissionais vinculados ao Sistema Confea/Crea.

8. Comunicar o cronograma de obra

Por fim, o sucesso da implementação do cronograma depende da eficiência na comunicação entre gestão e equipe de trabalho. Por esse motivo, é importante adotar canais adequados para comunicar as atividades, responsáveis, especificações, normas e prazos que devem ser seguidos.

Tradicionalmente são utilizados quadros de avisos e folhas de papel para esse fim, entretanto, os riscos de perda e danificação do documento são altos, já que resultam em erros e potenciais problemas. Por esse motivo, muitas empresas estão adotando um software de gestão de obra.

Essa ferramenta permite que os profissionais recebam e consultem as ordens de serviço em dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Além disso, eles podem incluir suas entregas no cronograma, mantendo o documento sempre atualizado.

Fica evidente que realizar e implementar um cronograma de obra são práticas fundamentais para o sucesso de qualquer projeto de construção. Para que elas sejam feitas de forma eficiente, é preciso planejamento, bons profissionais e, se possível, o uso de ferramentas que facilitam todo o processo.

Gostou de saber mais sobre como criar um cronograma de obra de forma eficiente? Então, curta nossa página no Facebook e acompanhe mais conteúdos como este na sua timeline!