Você já ouviu falar do conceito CHICS? Trazemos neste blog post uma explicação do que é e como ele se aplica nas cidades.

CHICS, ou Cidade Humana, Inteligente, Criativa e Sustentável, segundo o IBCIHS: “é aquela que faz uma gestão integrada, integral, sistêmica e transversal de suas cinco camadas: as pessoas; o subsolo; o solo; a infraestrutura tecnológica; e as plataformas: Internet das coisas, Inteligência Artificial e Blockchain”.  

Para entendermos melhor sobre o tema, trazemos a fala de André Gomyde, presidente do Instituto Brasileiro de Cidades Inteligentes, Humanas & Sustentáveis (IBCIHS), e Carlos Frees, vice-presidente executivo da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas (RBCEH) ao ConectaTalks. 

Ambos são autores do livro “O futuro é das CHICS: Como construir agora as Cidades Humanas, Inteligentes, Criativas e Sustentáveis”. O material cunhou o termo CHICS e mostra como estruturar um projeto como esse em uma cidade brasileira. 

A origem do termo CHICS 

O termo CHICS veio de uma complementaridade. Antes, as cidades eram conhecidas por serem humanas, inteligentes e sustentáveis. 

Nessa nova perspectiva, os ambientes urbanos também precisam ser criativos e interligar as demais camadas, visando o bem-estar dos cidadãos. 

O termo é fruto, de acordo com André Gomyde, de diversos estudos e do acompanhamento do que vem sendo feito na Europa, América do Norte e Ásia – locais que possuem diversas cidades que são referência em Smart Cities. 

Nesse contexto, o presidente do IBCIHS afirma que muitas cidades que começaram projetos apenas focado na tecnologia, hoje começam a ter insucesso, visto que essa abordagem é insustentável a médio e longo prazo. 

O motivo? As gestões que focam apenas em tecnologia esquecem que as cidades são constituídas de pessoas e elas devem ser envolvidas nos assuntos, projetos e discussões que dizem respeito ao espaço em que vivem.  

É por isso que, atualmente, o aspecto humano e sustentável é tão levado em conta quando o assunto é cidades inteligentes – e não apenas as tecnologias envolvidas no processo. 

Agora que entendemos o conceito, como estruturar uma CHICS? 

O especialista afirma que a construção de um projeto no modelo CHICS é uma jornada que exige planejamento, estratégia e parcerias

No livro supracitado, os autores organizam um Plano Mestre de CHICS, que tem como objetivo: “[…] desenvolver ações que permitam construir uma alta qualidade de vida da população nas cidades, transformando os principais serviços que os cidadãos recebem em serviços inteligentes e criativos, para que haja melhores empregos; construção de uma economia inteligente e criativa; e cidades boas para viver, para estudar, para trabalhar, para investir e para visitar”. 

Ele é dividido por blocos: tomada de decisão; áreas e subáreas inteligentes e criativas; implementação e resultados. 

Em cada parte do Plano, são definidas estratégias e ações para que os objetivos sejam alcançados. 

Mais uma vez, Gomyde ressalta a importância do envolvimento da população em todas as etapas do projeto, de forma que a execução do mesmo ocorra da melhor forma em prol de quem irá realmente usufruir dele. 

Além dos cidadãos, a transformação envolve a gestão municipal, universidades, empresas, ONGs, associações representativas do município e a sociedade civil organizada.

Assim, após a execução do projeto, são mensurados os resultados em um painel de monitoramento, garantindo a prestação de contas à sociedade e aos órgãos competentes. 

Mudanças pós-COVID: o impacto nas cidades inteligentes 

Carlos Frees afirma que a pandemia trouxe consigo uma mudança em todos os projetos que estavam sendo desenvolvidos para as cidades. 

Os impactos puderam ser sentidos em diversas áreas, como:

– Educação; 

– Comunicação;

– Saúde pública;

– Execução de grandes e pequenos projetos. 

Dessa forma, o vice-presidente da RBCEH ressalta que a pandemia trouxe essa mudança estrutural para as cidades que pretendem ser humanas, inteligentes, criativas e sustentáveis.

Segundo ele, os projetos precisaram incorporar novas questões, como sustentabilidade econômica e recuperação durante e pós-COVID.

Nesse contexto, novas tecnologias tiveram que ser implementadas nas cidades, justamente para combater e enfrentar o vírus que – ainda – está presente em todo o mundo. 

Entendeu melhor o que são as CHICS? 

No blog post de hoje nós mostramos o que são as CHICS e trouxemos a visão dos especialistas que têm trabalhado neste termo durante os últimos anos. 

Assim, uma das lições que fica para projetos que pretendem se adequar a esse novo modelo, é levar em consideração que a cidade é feita para as pessoas. Por isso, elas precisam ser ativas e participar das melhorias que pretendem ser implantadas. 

Além disso, os especialistas reafirmam a importância do planejamento para cidades que almejam se tornar inteligentes, humanas e criativas. 

Para falarmos mais sobre o assunto, separamos um blog post que explica o que é planejamento urbano e como ele se aplica às Smart Cities. Boa leitura!