A maioria das empresas buscam implementar os conceitos de sustentabilidade e eficiência energética em suas práticas. Eles são buscados constantemente para melhorar a forma de interação com o meio ambiente e com os recursos disponíveis. Contudo, o que significam? Qual é o impacto que trazem para o nosso dia a dia?

Um estudo da Abesco (Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia) revelou que, dentre as 23 maiores economias do mundo, o Brasil fica em penúltimo no ranking de eficiência energética. Além disso, a pesquisa ainda mostrou que entre 2013 e 2016 o nosso país desperdiçou mais de 60 bilhões de reais em energia.

Como fazer então para que tanta energia limpa não seja desperdiçada? Quais medidas podem ser tomadas para solucionar esse problema? Confira no post a seguir:

O que é eficiência energética?

O conceito de eficiência energética passa pela compreensão das diferentes formas de energia existentes. Para a realização de qualquer trabalho por qualquer tipo de aparelho, desde os mais simples como lâmpadas, até os mais complexos como automóveis, é necessário que haja transformação de energia. Por exemplo, a lâmpada transforma eletricidade em luz e calor.

Também chamada de utilização racional de energia, a eficiência energética é um modo de utilizar esse recurso disponível para obter um determinado resultado, da forma mais rápida e econômica possível. Essa eficiência consiste da relação entre a quantidade de energia empregada em uma atividade e a que de fato é disponibilizada para a sua realização.

Qual o papel da Iluminação Pública?

A Agência Internacional de Energia considera que o consumo de energia com iluminação é responsável por 19% de toda a energia elétrica gerada no mundo. Além disso, atualmente, 86% dos brasileiros vivem em áreas urbanas contempladas pela iluminação pública. Ela, além de trazer qualidade de vida e segurança, influencia diretamente no aquecimento da economia por proporcionar atividades em horários que antes as pessoas estariam dentro de suas casas.

Contudo, apesar de ter grande potencial para impactar a vida das pessoas positivamente, a iluminação acaba sendo um dos principais vilões contra a eficiência energética, por causa do material utilizado ainda na maioria das lâmpadas: o vapor metálico. Com essas lâmpadas, a iluminação pública hoje é responsável por 25% das emissões de dióxido de carbono no planeta.

Modernização é a solução!

Uma das soluções mais práticas na busca da eficiência energética é a modernização do parque de iluminação pública. A troca das lâmpadas de vapor metálico por LED é a principal estratégia das empresas na luta contra o desperdício. Segundo o governo dos Estados Unidos, até 2020, 50% das lâmpadas do mundo serão de LED.

Além da duração estendida de mais de 100 mil horas, o que é cinco vezes mais do que as de vapor metálico, elas não poluem o meio ambiente. Outro fator importante é que com as lâmpadas LED, a necessidade de manutenção cai em até 60%.

Confira outras vantagens da iluminação LED:

  • Maior conforto visual para motoristas e pedestres, evitando acidentes;
  • Não necessitam de reatores;
  • Irradia luz em 360º;
  • Gerenciamento e monitoramento remoto;
  • Não emite gases nocivos

Essa modernização passa também pela utilização de um software de gestão da iluminação pública. Essa automação permite acompanhar os dados em tempo real, como acesso à informações registradas no sistema, tornando mais fácil e rápida essa consulta. O software também permite agrupar solicitações duplicadas – o que facilita o trabalho da equipe – analisa dados e distribui informações para as pessoas certas.

Além disso, na parte prática, saber quais pontos estão defeituosos contribui diretamente para melhorar a eficiência energética da cidade. Outro ponto importante é a capacidade do gerenciamento remoto na dimerização – controle da luminosidade – das luminárias, o que aumenta a vida útil do ponto e diminui mais ainda o gasto de energia.