A gestão urbana é uma temática recorrente em nosso blog devido ao crescimento exponencial da urbanização. Por esse motivo, as cidades planejadas se destacam pela sua capacidade e relevância em oferecer excelência em qualidade de vida.  

No Brasil, a pauta urbana continua sendo um dos maiores desafios principalmente no que diz respeito às questões econômicas, políticas, ambientais e sociais. 

Segundo estudos da Organização das Nações Unidas (ONU), a proporção de pessoas vivendo nas cidades brasileiras foi de 36% em 1950 para 87% nos dias atuais. Além disso, o mesmo estudo projeta que até 2050 a proporção poderá alcançar 92,4%

Dessa forma, é comum que cidades apresentem problemas com base no próprio desenvolvimento, sobretudo, aquelas não planejadas. 

Acompanhe a leitura e saiba mais sobre a temática. 

Mas afinal, o que são cidades planejadas?

As cidades planejadas são desenhadas do zero para manter um planejamento contínuo. Além de garantir um funcionamento sustentável, seguro e com soluções a longo prazo.

Ainda que sejam populosas, as cidades planejadas apresentam um crescimento controlado e se desenvolvem conforme os projetos urbanísticos, garantindo qualidade extrema.

Isso porque, o objetivo é oferecer políticas públicas com qualidade e eficiência, de modo que atenda todas as demandas e necessidades urbanas. Entretanto, esta não é a realidade de muitos municípios, visto que, as cidades não planejadas são maioria no país e no mundo.

As cidades não planejadas, chamadas também de cidades espontâneas, são aquelas sem nenhum planejamento urbano e que acabam se constituindo no decorrer do tempo conforme as pessoas se estabelecem, geralmente nas proximidades de rios e rodovias.

Sem o planejamento adequado as cidades espontâneas crescem de forma desordenada, gerando problemas de infraestrutura, trânsito, segurança e demais questões relacionadas ao bem estar social.

Portanto, viver em uma cidade planejada é antecipar o futuro através de um ambiente estruturado e pensado para beneficiar a população em todos os sentidos.

Cidades brasileiras planejadas

Ainda que as cidades planejadas não sejam predominantes no país, as projeções existentes são referência em organização, desenvolvimento e planejamento urbano.

Com grandes esforços para melhorar a habitabilidade, infraestrutura, mobilidade e os serviços públicos, as cidades brasileiras planejadas possuem um modelo especial. Confira a seguir.

Brasília

Não há dúvidas que Brasília é a cidade planejada mais conhecida do país. Construída para ser sede do Governo Federal, o planejamento da capital é um dos mais importantes da história.

Isso porque o projeto de construção seguiu três objetivos principais: 

  • Evitar ataques marítimos;
  • Afastar a possibilidade de protestos;
  • Povoar e desenvolver o interior do país.

No setor de mobilidade urbana, Brasília é a cidade mais bem posicionada no centro-oeste e está em 4º lugar no Ranking Geral das Cidades Inteligentes 2021.

Belo Horizonte

A capital mineira foi a primeira cidade moderna planejada. Durante o projeto de construção, o objetivo era desenvolver uma cidade do futuro. 

Inspirada nas construções francesas, Belo Horizonte é formada por ruas espaçosas, avenidas em diagonal e quarteirões de dimensões regulares que permitem o fluxo de pessoas e a circulação de mercadorias.

Com o crescimento acelerado, novos planos foram desenvolvidos. Atualmente, BH é uma das cidades que mais se destacam na saúde, tecnologia e inovação, segundo a Urban System. 

Palmas

Semelhante a construção de Brasília, Palmas é a cidade planejada mais recente do país e foi desenvolvida para comportar um milhão de habitantes.

Com o objetivo de ser multifuncional, a capital de Tocantins é formada por grandes avenidas, marginais, rotatórias e áreas verdes.

Dessa forma, Palmas segue com o crescimento urbano ordenado.

Há diferença entre cidade planejada e cidade inteligente?

Nós já falamos por aqui como o conceito de smart city está transformando a gestão urbana com projetos completos e inovadores.

Nessa perspectiva, as cidades inteligentes contam com tecnologias que possibilitam a modernização e otimização dos serviços públicos.

Contudo, o que difere uma cidade inteligente para uma cidade planejada é a implementação de recursos e tecnologias no planejamento urbano. Ou seja, as cidades planejadas podem se tornar inteligentes com projeções, ferramentas, tecnologias e soluções eficientes. 

O projeto pioneiro Smart City Laguna, no Ceará, é um exemplo clássico de que uma cidade planejada pode ser inteligente, sustentável e inovadora.

O que você achou deste conteúdo?

A gestão urbana está cada vez mais em pauta no desenvolvimento das cidades brasileiras. Isso porque a qualidade de vida no meio urbano segue como prioridade nos aspectos socioeconômicos. 

Ficou interessado em saber mais sobre gestão urbana inteligente? Nós preparamos um conteúdo especial para você. Acesse aqui e boa leitura!