Reflexo das exigências do homem do século XXI, as cidades estão se tornando cada vez mais inteligente. A internet tem papel de destaque nessa transformação, uma vez que muitos dos recurso utilizados nas cidades dependem de conexão.

Nesse contexto surge a ISO 37122. A normativa é de máxima importância para conhecimento de gestores e demais agentes envolvidos no planejamento das cidades inteligentes e sustentáveis a fim de solucionar problemas de infraestrutura e demais serviços públicos.

A cidade de Campinas, localizada no interior de São Paulo, conseguiu alcançar o posto de cidade mais inteligente do Brasil em 2019. O levantamento “Ranking Connected Smart Cities”, realizado pela consultoria Urban Systems, considerou mais de 70 indicadores para a classificação.

Veja a seguir de que forma as Smart cities podem contribuir na melhoria da qualidade de vida da população.

IOT já é uma realidade

A Internet das Coisas (Internet of Things – IoT) e as Smart Cities estão diretamente relacionadas em diversos aspectos. Existem indicadores para cidades inteligentes que podem ser facilmente medidos e analisados a partir dessa tecnologia.

Com a utilização de sensores presentes nos dispositivos de IOT, uma série de da dados são coletados e enviados para um sistema inteligente. Já integrando a base de dados da plataforma, são tratados e analisados com o objetivo de gerar informações relevantes para otimizar e melhorar os processos de decisão, seja qual for a àrea de interesse.

Esse tipo de recurso é uma necessidade diante do contínuo crescimento da população no mundo, exigindo que as cidades desenvolvam soluções para as necessidades sociais. Por meio da tecnologia, é possível otimizar a entrega dos serviços públicos e melhorar a qualidade de vida da população.

Veja alguns exemplos práticos de sua aplicabilidade.

Iluminação pública sob controle

A adoção dos sistemas inteligentes associados à sensores e dispositivos de IOT possibilitam maior eficiência no setor de iluminação pública. 

O tema da eficiência energética vendo sendo muito debatido nos últimos anos diante da necessidade de buscar novas formas de obtenção e/ou redução de energia elétrica. 

Para se ter uma ideia do grau de relevância sobre o assunto, as 573 mil indústrias distribuídas pelo Brasil chegam a consumir cerca de 41% da energia elétrica produzida em todo o país.

Os dados são da campanha lançada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com o intuito de passar orientações simples e práticas para apoiar o uso eficiente da energia nas indústrias.

Agora pense no cenário de energia voltado à iluminação pública. Aliando a tecnologia com o sistema de concessões e Parcerias Público-Privadas (PPPs), o consumo anual de energia elétrica no Brasil teria uma redução de 1,2%.

Embora pareça um número pequeno, o percentual equivale ao consumo de todas as residências do Estado do Paraná, o que representa uma economia de R$ 1,9 bilhões para os cofres públicos.

Isso acontece a partir do maior controle da iluminação pelo uso da tecnologia LED associada a softwares inteligentes e aos recursos de IOT.

Esse recursos, por sua vez, são responsáveis por programar o acendimento das luminárias e dimerizá-las de acordo com a luminosidade disponível no ambiente.

Possibilidades de mobilidade urbana

Com cada vez mais pessoas e veículos em circulação nas ruas mais estratégias de conexão e otimização de tempo são desenvolvidas.

No entanto, temos acompanhado a evolução dos sistemas de navegação por GPS. Hoje, portanto, temos no mercado soluções que permitem localizar vagas de estacionamento dentro de grandes estabelecimentos comerciais como hipermercados e shoppings centers.

O recurso utilizado é similar ao citado anteriormente no tópico de iluminação. Os sensores são responsáveis por `perceber´ a presença de um veículo em uma vaga e, então, comunicar-se automaticamente com o sistema de gestão, que informa no telão de entrada do estabelecimento a quantidade exata de vagas disponíveis. 

O sistema evita, por exemplo, que o motorista perca tempo procurando uma vaga em um local sem vagas, além de reduzir as emissões de poluentes na atmosfera. Essa solução já vem sendo implantado em algumas cidades brasileiras, como em Águas de São Pedro, no interior paulista.

Outros serviços como informações sobre o trânsito, incidência de desastres naturais e até mesmo localização de pessoas e animais de estimação perdidos também já são possíveis.

De que maneira a Exati pode auxiliar na transformação da sua cidade?

Por meio do dispositivo de Telegestão, uma infraestrutura que possibilita a implantação da Internet das Coisas (IoT) nas cidades, é possível controlar de forma inteligente a iluminação dos espaços e outros serviços públicos. 

Além da capacidade de diminuir os custos da operação e economizar energia, o dispositivo da Telegestão, acoplado nas luminárias da cidade, é muito mais do que somente uma vantagem econômica: é tecnologia à disposição da população.

Se você ficou interessado, conheça de quais formas um sistema de gerenciamento inteligente transforma cidades em Smart Cities. Confira!