A quanto tempo ouvimos falar sobre a degradação ambiental ocasionada pelo comportamento do homem moderno? O cenário é dramático e exige ações que coloquem em prática a preservação do meio ambiente. O controle ambiental pode ser uma alternativa.

Em outras palavras, o controle ambiental é uma ação que visa orientar, corrigir, fiscalizar e combater atividades e produções que afetam o ecossistema.

Portanto, implementar ações de controle ambiental é uma forma de contribuir para o desenvolvimento sustentável e ao equilíbrio ecológico.


Continue acompanhando e saiba mais sobre a temática. Boa leitura!

O papel das empresas no controle ambiental

Por muitos anos, diversas organizações lucraram com a degradação ambiental e a má gestão em suas atividades. Portanto, as ações de controle ambiental no setor corporativo hoje se tornaram essenciais para a preservação do meio ambiente.

Empresas que adotam a metodologia de controle ambiental são capazes de reduzir drasticamente ou eliminar todo e qualquer risco à natureza.

Por meio de inspeções, investigações e planejamento ambiental, é possível conduzir e regularizar o uso, o controle e a proteção aos impactos ambientais nos processos cotidianos das empresas.

Do mesmo modo, as estratégias sustentáveis de gestão ambiental permitem que as organizações desempenhem níveis diferentes na cadeia de produção. Confira abaixo em qual a sua organização se encaixa.

1. Gestão ambiental – Nível de Controle

É considerado como nível de controle, o momento em que a empresa está iniciando o processo de gestão ambiental. Ou seja, quando há fiscalização, controle e o cumprimento legal dos próprios recursos, evitando impactos ambientais.

As normas e os padrões ambientais empresariais impedem que haja geração de resíduos, emissão de gases e demais substâncias tóxicas nos processos de produção.

2. Gestão Ambiental  – Nível de Prevenção

No nível de prevenção são colocadas em prática as ações internas de gestão ambiental

Aqui, são observados os critérios de responsabilidade ambiental que uma empresa sustentável deve ter. 

Quer um exemplo? A criação de processos voltados à transparência como a implementação de um sistema de gestão ambiental, a reutilização de materiais e recursos naturais, parcerias com fornecedores sustentáveis e o cumprimento da lei da ordem social do meio ambiente.

3. Gestão Ambiental – Nível de Proatividade

A empresa que atinge o nível de proatividade considera o meio ambiente um tema de grande importância. Em outras palavras, as práticas sustentáveis se tornam características da cultura e do posicionamento da empresa, como a Unilever, Natura e Johnson & Johnson, por exemplo.

O nível de proatividade é resultado do trabalho de eco-excelência. Ainda mais, com as estratégia de consciência, comprometimento e medidas preventivas a possíveis problemas ambientais, durante todo o processo de produção

Agora que você sabe diferenciar os níveis de gestão ambiental, é importante saber sobre o Plano de Controle Ambiental que as empresas devem apresentar aos órgãos responsáveis.

Tudo o que você precisa saber sobre o Plano de Controle Ambiental (PCA)

Empresas potencialmente poluidoras e degradantes ao meio ambiente devem seguir regras que visam o acompanhamento e a manutenção de recursos naturais, referente aos impactos causados pelas suas atividades. 

Por esse motivo, o Plano de Controle Ambiental (PCA) é considerado uma garantia para a instalação e a operação sustentável de uma organização. Contudo, o PCA é um documento solicitado pelo órgão ambiental na fase de Licença de Instalação, como previsto na Resolução CONAMA 09 de 1990.

Com o objetivo de evitar danos ambientais, multas e infrações às organizações, o PCA determina a viabilidade ambiental e as condições necessárias que o empreendimento deve conter para a operação. Por exemplo, a remoção de vegetação, terraplanagem, alicerces, canalização, etc.

Como a tecnologia pode ajudar o meio ambiente?

Com o desenvolvimento de novas técnicas, equipamentos e modelos produtivos no mercado, a tecnologia apresenta um papel importante para a conservação ambiental.

A tecnologia integrada ao controle ambiental, não só inova como também simplifica os processos de produção e de monitoramento no ecossistema. 

Dessa forma, o uso de tecnologias para a produção de energia limpa, materiais sustentáveis e recicláveis, aumentam o índice de qualidade de vida da população, fazem a economia se movimentar  e, claro, preservam o meio ambiente.

Definitivamente, o controle ambiental é parte das ações que garantem o desenvolvimento sustentável nas cidades e no meio ambiente.

E por falar em desenvolvimento nas cidades, você sabia que cada uma deve desenvolver um plano de gerenciamento de resíduos? Clique aqui e fique por dentro. Boa leitura.