A produção e o descarte de resíduos não precisa ser um problema nos centros urbanos. Afinal, além de políticas ambientais que orientam esse processo, existem também soluções inteligentes para realizar o que chamamos de gerenciamento de resíduos urbanos.

Entretanto, a temática continua sendo uma das pautas mais importantes no contexto urbano uma vez que as cidades não param de crescer e, consequentemente, gerar cada vez mais resíduos. Assim, o compromisso entre gestão pública, organizações e população deve ser indispensável.

Como mencionado anteriormente aqui no Blog, a Política Nacional de Resíduos Sólidos permite avanços na preservação ambiental e, sobretudo, no conjunto de procedimentos do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS).

Em outras palavras, a elaboração e execução do PGRS é obrigatório para grandes geradores de resíduos que possam interferir na saúde pública e no meio ambiente. Acompanhe abaixo quais são os segmentos.

  • Geradores de resíduos de saúde;
  • Geradores de resíduos industriais;
  • Geradores de resíduos da construção civil;
  • Geradores de resíduos de mineração;
  • Geradores de resíduos perigosos;
  • Geradores de resíduos de serviços agropecuários e silviculturas;
  • Geradores de resíduos de serviços de transporte;
  • Geradores de resíduos de serviços públicos de saneamento básico.

Do mesmo modo, empreendimentos que produzem resíduos perigosos ou de volume superior ao de resíduo domiciliar devem seguir as diretrizes do PGRS.

Acompanhe a leitura para saber mais sobre o gerenciamento de resíduos urbanos nas cidades e como a Plataforma Exati pode contribuir nesse processo.

Desafios no atual cenário brasileiro

O lixo é, de fato, um problema de graves circunstâncias no país e no mundo. Inclusive, ao longo das últimas edições do Panorama de Resíduos Sólidos Urbanos no Brasil, os dados apontam uma curva ascendente no aumento de RSU.

Conforme os últimos dados da Abrelpe (Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública), em 2020 foram produzidas 79,6 milhões de toneladas de resíduos sólidos, mas apenas 4% foram reciclados

Ainda segundo a associação, o volume de plástico descartado aumentou 15% em relação ao ano anterior. No total, foram 13,3 milhões de toneladas

Os números são um reflexo do que diz a World Wildlife Fund (WWF). O estudo da organização não governamental revela que apenas 1,28% do lixo plástico é reciclado no país. Com o índice abaixo da média mundial de 9%, o Brasil é o quarto maior produtor de material plástico no mundo.

Por outro lado, com a aprovação do Marco do Saneamento somado a novas políticas públicas, em menos de um ano foram 600 lixões desativados no país. Além disso, as iniciativas de coleta seletiva que estavam presentes em 56,6% dos municípios em 2010 hoje atingem mais de 73% das cidades brasileiras.

Por esse motivo, a cobertura de coleta avançou nos últimos anos. O índice que antes era de 88% passou para 92%.

Goiânia é uma das cidades brasileiras que se destacam com programas de coleta e reciclagem. Atualmente, os serviços estão presentes em todos os bairros e a meta para a capital é que 15% dos resíduos recicláveis sejam totalmente reaproveitados.

O ritmo de desenvolvimento segue gradativamente no Brasil. Contudo, o gerenciamento de resíduos urbanos segue impactando na preservação ambiental e na saúde pública. 

Saiba mais sobre o Gerenciamento de Resíduos Urbanos com a Plataforma Exati 

A tecnologia facilita os processos diários e otimiza a gestão com foco em produtividade e eficiência, em diferentes setores. E no caso do gerenciamento de resíduos urbanos não é diferente.

Ao utilizar a Plataforma Exati para gerenciamento de resíduos você tem em mão um sistema completo que viabiliza em tempo real todas as demandas, atividades e informações de gestores e profissionais em operação.

Confira algumas funcionalidades de destaque:

Registro de atividades

Durante o ciclo de coleta de resíduos, todas as informações são monitoradas e registradas no sistema. Dessa forma, é possível detectar e/ou evitar falhas no processo de gerenciamento.

Na prática, a funcionalidade permite registrar informações específicas e fotografias, que posteriormente serão disponibilizadas em relatórios digitais, com detalhes dos materiais coletados e atividades realizadas pela equipe externa.

Por exemplo: fotografias de lixeiras e informações da equipe em campo, data, hora, tipo e volume do resíduo coletado.

Conexão Online/Offline

A internet não é um problema no gerenciamento de resíduos via Plataforma Exati. Isso porque o aplicativo funciona de forma online e offline para as equipes externas.

Em outras palavras, a tecnologia permite que todas as informações sejam acessadas e inseridas normalmente no modo offline.

O objetivo é evitar que as atividades sejam interrompidas, além de elevar o nível de produtividade e garantir automatização no processo de gerenciamento de resíduos urbanos.

Alerta para a capacidade do caminhão 

Além de traçar as melhores rotas considerando as atividades do dia, a plataforma permite que os gestores acessem dados referentes à coleta dos resíduos, visualizem a quilometragem rodada e demais informações referentes ao veículo.

Além disso, antes de atingir a capacidade máxima do caminhão o sistema insere uma parada de descarregamento de resíduos. O alerta ocorre automaticamente através do cálculo de peso e volume dos resíduos coletados, impedindo problemas no veículo e, sobretudo, no processo de gerenciamento de resíduos urbanos.

Sendo assim, a Plataforma Exati atende todos os critérios legais e ambientais no serviço prestado.

O que você achou deste conteúdo?

O tema gerenciamento de resíduos é relevante aqui no Blog da Exati, em virtude de todos os desafios e necessidades que o segmento exige. 

Portanto, neste conteúdo, você pôde acompanhar detalhes sobre o atual cenário e algumas funcionalidades de gerenciamento de resíduos urbanos utilizando a Plataforma Exati. 

Confira outras funcionalidades importantes da Plataforma Exati para o gerenciamento na gestão pública. Clique aqui e boa leitura!