Os serviços públicos nos municípios brasileiros correspondem a dois terços de todo o consumo de energia elétrica do país. Além disso, do total de emissão de gases do efeito estufa no Brasil, 70% estão relacionados ao consumo na iluminação pública.

A melhor solução para esse problema é realizar a modernização da iluminação dos municípios, porque, além da economia para o poder público, há também diversos benefícios para a população que usufrui dos recursos, como:

  • Mais segurança.
  • Economia de energia.
  • Redução nos gastos.
  • Sustentabilidade.

A principal forma de renovar o parque de iluminação é através da troca das lâmpadas de vapor metálico pelas de LED, que possuem maior duração e poluem menos o meio ambiente. 

Confira todos os benefícios da modernização desta área nos tópicos abaixo:

Economia no consumo de energia

Através de sistemas de conectividade e gestão, há um controle em tempo real de todo o parque de iluminação pública, o que gera uma economia mínima de 45% no consumo de energia em cidades que utilizam o sistema, como Belo Horizonte.

Além disso, as já citadas lâmpadas de vapor metálico são substituídas pelas de tecnologia LED, que tem duração quatro vezes maior, com um fluxo luminoso consistente em até 70% de sua vida útil.

Fonte: Ministério de Minas e Energia (MME) e Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ) – Iluminação Pública Municipal – Programas e Políticas Públicas, Orientações Para Gestores Municipais

Como pode ser visto na imagem, as vantagens oferecidas pelas lâmpadas LED incluem:

  • Vida útil longa, com até 90 mil horas.
  • Possibilidade de dimerização (controle de intensidade) através de sistemas de telegestão.
  • Economia de energia de 40% a 60%.

O emprego dessas tecnologias contribuem no aumento da eficiência energética, o que, por sua vez, gera uma redução nos custos de energia do município. O controle de maneira remota do parque de iluminação proporciona uma redução também nos custos de operação e manutenção preventiva, possibilitando a integração com o conceito de Cidades Inteligentes.

Redução nos custos 

A modernização do parque de iluminação pública é capaz de reduzir os custos municipais relacionados tanto ao consumo de energia quanto com as manutenções emergenciais.

Em relação aos gastos com eletricidade, a cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, promoveu a instalação de 33 mil lâmpadas de LED, que significa uma economia anual de aproximadamente R$ 25 milhões, com a redução de 45% dos gastos com eletricidade.

Segundo reportagem publicada no Diário do Comércio, por causa da vida útil de até 90 mil horas das lâmpadas, o custo com a manutenção também tem redução estimada de 56,4%, porque as trocas acontecem com muito menos intensidade.

Graças às reduções citadas pelo governo de Belo Horizonte, o prefeito decretou que será repassado à população uma economia de 10,5% na taxa de iluminação da cidade. Por mais que os custos iniciais para efetuar a troca das lâmpadas seja elevado, os benefícios atingem todas as esferas: população, poder público e empreiteiras particulares.

Por serem mais duráveis, as lâmpadas de LED também trazem muita economia no sentido de não precisarem ser trocadas com frequência. Uma lâmpada dessas dura 50 vezes mais do que uma incandescente e cinco vezes mais do que uma fluorescente.

A cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, após a modernização do parque de iluminação pública, tem expectativa de gerar uma economia de mais de R$ 400 mil. O gasto apenas com as despesas de manutenção terá redução de 65,97% por lâmpada. 

Aumento da segurança pública

A criminologia clássica se preocupa com o crime depois que a fatalidade ocorreu. Porém, intervenções no ambiente em que a criminalidade ocorre envolve demandas de infraestrutura urbana para diminuir os índices de delitos.

Entre março e agosto de 2016 os pesquisadores do Bureau Nacional de Pesquisa Econômica, nos Estados Unidos, realizaram um estudo em parceria com a polícia metropolitana de Nova York. Foram sorteadas 40 ruas de um total de 80 em que o crime não havia declinado nos últimos anos, como aconteceu no restante da cidade.

As localidades sorteadas receberam mais de 300 torres de luz distribuídas de acordo com o tamanho da área que deveria ser iluminada. Após os seis meses de experimento, foi registrada uma redução de 36% nos crimes ocorridos durante a noite nessas 40 ruas.

Ainda, a iluminação pública dá sensação de bem-estar para o cidadão e a sociedade como um todo, elevando a qualidade de vida da população. A modernização do parque é capaz de aumentar ainda mais o potencial energético para tornar isso possível.

Atendimento de chamados

A satisfação dos moradores dos municípios é o principal e mais claro objetivo de uma boa iluminação pública. Por isso, é necessário conquistar o status de atendimento eficiente e confiável, com alta disponibilidade dos colaboradores, fácil implantação, integração, registro rápido dos chamados e vinculação de atendimentos na mesma região.

Através do cadastramento georreferenciado é feito um mapeamento de todos os postes da cidade, que faz com que o município tenha dados como:

  • Quantidade total de pontos de iluminação.
  • Tipos de lâmpadas instaladas.
  • Identificação de pontos apagados.
  • Luminárias quebradas.
  • Localização de problemas.

Esses dados, além de ajudar na manutenção preventiva e de emergência, também são boas ferramenta para os cidadãos, que, ao reportarem um problema relacionado à iluminação, podem ter seu chamado atendido rapidamente por se saber exatamente onde está o problema.

Todos esses dados são armazenados e agrupados, o que elimina reclamações sobre o mesmo ponto feitas mais de uma vez, por exemplo. Em relação aos serviços de emergência, essas informações facilitam que as equipes se organizem e desenvolvam rotas otimizadas para chegar até os locais necessários.

A transmissão dos dados em tempo real possibilita um controle de todos os dispositivos, por se ter uma noção das necessidades imediatas ㅡ se está noite, nublado ou em clima chuvoso, a cidade precisa de uma iluminação mais intensa.

Mercado aquecido

Além de todos os benefícios apontados anteriormente, a modernização do parque de iluminação pública é capaz de movimentar muito a economia. No Brasil, se todos os locais públicos tivessem suas lâmpadas substituídas pelas de LED, haveria uma movimentação de R$ 27,8 bilhões, segundo dados do Banco Mundial.

Em 2018, foi estimado pela empresa Navigant Research Leaderboard: Smart Street Lightning (Ranking de Pesquisa de Navegantes: Iluminação Pública Inteligente em tradução livre) que o mercado global do segmento deveria movimentar US$ 837,4 milhões naquele ano.

Essa receita anual deve crescer para US$ 8,3 bilhões até 2027, que representa uma taxa de crescimento de 28,9% por ano. 

Os parâmetros que tornam a gestão da iluminação pública um mercado de bom investimento são os potenciais de crescimento em curtos espaços de tempo, a automatização da rede e a eficiência para a execução dos projetos.

O plano econômico desenvolvido nessa área proporciona um grande retorno financeiro entre os diversos segmentos que englobam a iluminação.

 

Lâmpadas de vapor metálico, sódio e mercúrio funcionam por meio de uma descarga elétrica no tubo de vidro ㅡ que contém gases em seu interior ㅡ transformando energia elétrica em luminosa. Esses gases, contudo, tem potencial contaminador no solo, e anualmente 49 milhões de lâmpadas são descartadas. Isso representa um potencial poluidor de 1.000 kg de mercúrio. 

Toda essa contaminação ao meio ambiente pode ser evitada com o uso de lâmpadas LED. Além de ser uma prática sustentável, a Philips, empresa holandesa de produtos voltados à tecnologia, estima que a troca global da iluminação por sistemas mais eficientes pode gerar uma economia de 50% no consumo elétrico.

Conheça mais sobre as Smart Cities (ou cidades inteligentes) e entenda sobre a aposta na tecnologia para aumentar a qualidade dos serviços oferecidos à população!