Embora a poda de árvores seja uma prática de manutenção em projetos de arborização urbana, a execução requer atenção especial dos gestores públicos. Isso porque, a gestão da arborização urbana é uma pauta de extrema importância para o desenvolvimento do planejamento urbano e ambiental.

Além de contribuir para a preservação do meio ambiente, as áreas verdes no perímetro urbano trazem benefícios econômicos, sociais e até mesmo estéticos

De acordo com os estudos do pesquisador Laerte Scanavaca Júnior, da Embrapa Meio Ambiente, a manutenção das áreas verdes nas cidades superam os custos à taxa de 1,52 a 6,13 por dólar investido. Sem dúvidas, é uma necessidade já percebida até mesmo pela população.

De acordo com a pesquisa do Plano Municipal de Arborização Urbana de Piracicaba, 64% da população deseja que a poda seja adequada e que haja mais árvores na cidade

Com o objetivo de melhorar a arborização urbana em Piracicaba, 78% dos moradores declaram contribuir pelas áreas verdes. Além disso, 28% sugerem ações de conscientização à população sobre a importância das arborização.

Para combater diversos problemas urbanos provocados pela má gestão da arborização, sobretudo a poda de árvores, cidades como Goiânia, Belo Horizonte e Curitiba estão dando bons exemplos em manter espaços verdes cada vez mais preservados.

Para saber mais sobre as técnicas de poda de árvores e como isso pode afetar as cidades, acompanhe a leitura!

Conheça os diferentes tipos de poda de árvores

Ao contrário do que se pode imaginar, as podas de árvores têm sido amplamente debatidas nas cidades modernas ao perceberem os riscos ambientais gerados pelas práticas inadequadas.

Contudo, é importante destacar que a poda não é uma prática proibida, mas deve-se preservando a estrutura vegetal – o que não acontece quando ocorre a poda drástica ou excessiva.

A poda drástica é aquela onde são retirados mais de 50% dos galhos e folhas, ocasionando o apodrecimento da raiz e problemas de estrutura, desequilíbrio das espécies e outras ameaças como a quedas de árvores sobre pedestres e veículos

Do mesmo modo, aqueles que agridem o vegetal com a poda drástica podem ser autuados por crime ambiental, previsto na Lei Federal n° 9605/98. Por esse motivo, toda poda de árvores deve praticada de forma técnica e responsável


Para saber como isso é possível, confira abaixo os tipos de podas urbanas.

Poda de formação

Com o objetivo de conduzir o crescimento e limitar o formato adequado da árvore, a poda de formação visa melhorar a aparência e o desenvolvimento da planta para a sua adaptação.

Poda de manutenção e limpeza

A poda de manutenção e limpeza ocorre para manter a árvore saudável. Além de evitar problemas futuros ocasionados por galhos quebrados, folhas infectadas por fungos e bactérias, entre outros.

Poda de livramento

Para evitar risco à população ou patrimônio público/privado, a poda de livramento impede que equipamentos urbanos como construções, placas de sinalização, redes de fiação aérea e iluminação pública causem novos problemas.

Técnicas adequadas para poda de árvores

Quando necessária, a poda de árvores é uma prática importante para a segurança da população nos centros urbanos. Contudo, cabe à prefeitura de cada cidade a responsabilidade pela poda.

Ou seja, acompanhar a legislação e o Plano de Arborização Urbana são condutas indispensáveis. Em São Paulo, por exemplo, para garantir uma cidade arborizada, com árvores saudáveis, deve-se considerar as seguintes informações disponibilizadas pelo Manual Técnico de Podas de Árvores:

  • A escolha do tipo de poda para o desenvolvimento da árvore (entre jovem e madura);
  • A característica natural de desenvolvimento da copa e raízes;
  • O estado fenológico (repouso, enfolhamento, floração, frutificação) para a decisão de melhor período para a realização da poda;
  • As inter-relações da fauna e flora urbana;
  • A poda é uma injúria provocada pelo homem; 
  • Deve-se permitir o desenvolvimento saudável da planta após a sua realização; 
  • A poda de raízes é uma ação não recomendada; 
  • Cuidados com a segurança são essenciais e obrigatórios; 
  • Sempre consultar a legislação local; 
  • A poda deve realizada por órgãos competentes;

O que fazer com os resíduos da poda de árvore?

O gerenciamento de resíduos de podas de árvores é fundamental para evitar prejuízos à saúde pública, meio ambiente e centro urbanos.

Após a poda, os resíduos devem ser agrupados e retirados para não atrapalhar o acesso de pedestres e veículos, além de evitar a obstrução do acesso da água pluvial em bueiros

Além disso, folhas e galhos devem ser coletados adequadamente, visto que, os materiais podem ser usados como adubo por meio de compostagem e também, na produção de energia de biomassa.

Dessa forma, soluções tecnológicas são capazes de tratar os resíduos e adotar medidas de incentivo para uma prática sustentável

Gostou desse conteúdo?

Compreender a arborização urbana é mais do que plantar árvores, mas também defender, cuidar e pensar nas cidades como função social e urbanística.

Por esse motivo, é de extrema importância cumprir as exigências legais. Além de executar o procedimento de maneira segura e correta, garantindo não só o bem-estar das pessoas, mas também das espécies. 

Quer saber mais sobre arborização urbana? Clique aqui e boa leitura!