Smart Cities, ou cidades inteligentes, são ambientes que utilizam a Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) em favor dos cidadãos, colocando em prática a eficiência urbana.

As cidades inteligentes, por meio do uso da tecnologia, conseguem otimizar o uso de recursos financeiros e aumentar a efetividade das operações urbanas. Além disso, elas atendem as necessidades econômicas, sociais e ambientais das gerações atuais e, inclusive, futuras. 

Atualmente, é uma tendência que as cidades invistam recursos na auto modernização. Prova disso é a previsão da consultora International Data Corporation (IDC), especializada em mídia, pesquisa e tecnologia, para o investimento em Smart Cities em 2020.

De acordo com o estudo, o investimento mundial em cidades inteligentes deve crescer 19% neste ano. A consultora afirma que as iniciativas devem surgir principalmente em transporte público, gerenciamento inteligente do tráfego e conectividade para veículos. 

Tendo em vista este cenário otimista, iremos apresentar como surge e quais as principais características de uma Smart City

Como surgem as Smart Cities?

Existem, a princípio, duas formas de nascimento de uma Smart City. A primeira delas é o planejamento e construção de uma cidade no modelo inteligente, a qual tem, desde a sua gênese, ações totalmente voltadas para os conceitos tecnológicos e sustentáveis. 

Um exemplo de cidade que nasceu inteligente é a Smart City Natal, localizada no Rio Grande do Norte. Nela, são utilizadas mais de 50 soluções inteligentes, como pavimentação drenante, iluminação de LED, aplicativo gratuito para os moradores e outras inovações que facilitam a rotina da população. 

Porém, os casos de cidades que foram pensadas sob essa ótica ainda são minoria. Isso ocorre por que o conceito Smart City vem sendo aplicado gradativamente nos ambientes urbanos.  

O mais comum são cidades já existentes que reavaliam processos, identificam problemas e adaptam seus espaços de acordo com as soluções oferecidas pela Tecnologia da Informação e Comunicação. 

Uma das Smart Cities brasileiras neste modelo é Curitiba. A capital paranaense possui diversas soluções inteligentes, como o sistema de transporte público integrado através de terminais. Isso fez com que Curitiba se tornasse referência mundial no quesito mobilidade. 

Porém, no cenário atual brasileiro, a cidade considerada mais inteligente é Campinas (SP) pelo Ranking Connected Smart Cities, reconhecida por ser polo universitário, polo tecnológico e polo de inovação. 

Mobilidade urbana e transporte público sustentável 

A mobilidade urbana é vista como prioridade pelas Smart Cities por impactar diretamente o cotidiano dos cidadãos e a sustentabilidade. Nesse sentido, a diminuição na emissão de poluentes é um dos focos das cidades inteligentes. 

A cidade de Songdo, na Coréia do Sul, é um dos bons exemplos de mobilidade. Planejada para ser uma Smart City, Songdo tem seu projeto de construção objetivando o não uso de carros. 

Por isso, as empresas, parques, hospitais, escolas e demais edifícios foram estruturados próximos às casas e apartamentos, justamente para que não seja necessário o uso de veículos para locomoção. 

Gestão inteligente dos resíduos sólidos

Quando se fala em Smart Cities, é necessário pensar em como os resíduos sólidos gerados pela população são tratados.

A Política Nacional dos Resíduos Sólidos, consolidada pela Lei nº 12.305/10, institui alguns pontos relevantes com relação à gestão de resíduos. Os principais são coleta seletiva e a responsabilidade coletiva acerca do ciclo de vida dos produtos utilizados – que diz respeito a logística reversa. 

Nesse contexto, as cidades inteligentes buscam, cada vez mais, cumprir as normas e adequar a coleta de resíduos para um mundo mais sustentável. 

Assim, a implantação de aterros sanitários, coleta casa a casa e separação de resíduos de acordo com a constituição do material são iniciativas adotadas por Smart Cities. 

Bom relacionamento da gestão pública com os cidadãos 

Por fim, quando a gestão pública cria meios para melhorar o cotidiano dos cidadãos e facilita a conexão deles com a cidade e com os próprios órgãos governamentais, um passo é dado em direção à administração inteligente.

A cidade de Campinas, já citada anteriormente, é uma das que busca simplificar e melhorar a vivência das pessoas dentro do ambiente urbano. 

Uma dessas iniciativas adotadas por Campinas é o aplicativo COLAB, que conecta diretamente cidadãos à Prefeitura para a resolução de problemas. Já o app CittaMobi é utilizado para consultar o tempo estimado de chegada do transporte público. 

Compreendeu melhor o conceito de Smart Cities?

Neste material tivemos o objetivo de apresentar o conceito de Smart City: um espaço urbano que emprega tecnologia e soluções inovadoras para melhorar a rotina de quem o utiliza.  

Além disso, também foi possível entender que as cidades inteligentes podem ser planejadas desta forma ou adaptadas conforme a demanda do ambiente.

Para te ajudarmos a entender mais sobre esse conceito que já é realidade, preparamos um conteúdo exclusivo sobre quais as inovações tecnológicas as cidades inteligentes estão incorporando. Conheça!